• Português
  • English

OP.Edu nos Media

Exames e acesso ao ensino superior: investigadora do OP.Edu analisa o tema no jornal Público

Leia aqui, na íntegra, o artigo publicado no jornal Público pela investigadora da equipa permanente do OP.Edu, Orlanda Tavares, centrado na análise das alterações, em discussão atualmente, no acesso ao ensino superior.

OP.Edu no Museu do Aljube – Resistência e Liberdade

 

No dia 27 de outubro de 2022 decorreu o primeiro Colóquio do Ciclo 25 de Abril 50 Anos: Olhar o Passado, Pensar o Futuro. Com acolhimento no Museu do Aljube – Resistência e Liberdade e dinamização por Inês Vieira, neste primeiro encontro conversamos sobre Experiências de Educação Popular: O Centro de Estudos Educação e Cultura (C.E.E.C, Porto) com José Ferreira, elemento do C.E.E.C. no período de transição democrática.

A conversa versou sobre a origem do C.E.E.C. e a sua reestruturação com o 25 de Abril, as propostas de atuação que norteavam esta organização, as discussões e realizações sobretudo em termos de propostas educativas, o envolvimento em comissões de moradores e trabalhadores, o impacto do 25 de Novembro de 1975 e o fim do Centro. As memórias de José Ferreira foram sendo ilustradas por cartazes, autocolantes, boletins, jornais do C.E.E.C., artigos noticiosos e de reflexão educativa a partir desta organização. Esta documentação foi recolhida pelo próprio no arquivo Ephemera, na Biblioteca Pública Municipal do Porto, no Arquivo Municipal Sophia de Mello Breyner (Vila Nova de Gaia) e na Hemeroteca Municipal de Lisboa, em diálogo com outros elementos que dinamizaram o C.E.E.C..

O evento contou com a presença das direções do Museu do Aljube, do CeiED e do Op.Edu, bem como de investigadores e estudantes (Licenciatura em Educação Social, Universidade Lusófona), e com o apoio de Henrique Godoy (doutorando em Sociomuseologia, Universidade Lusófona e investigador do CeiED) na organização.

Investigadora do OP.Edu comenta rankings das escolas para o jornal Público

Orlanda Tavares refletiu criticamente sobre a publicação dos rankings, num artigo de opinião do jornal Público, assinalando os efeitos negativos que a mesma pode ter nas escolas, professores alunos e famílias.

Alertou ainda para a necessidade de melhorar o sistema educativo a partir de informação multidimensional e não apenas monocromática, reduzida aos indicadores de desempenho cognitivo, como aquela que a publicação dos rankings parece oferecer.

O texto pode ser lido na íntegra aqui